terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Crítica Literária - Luzes do Norte de Nora Roberts

A vila de Lunacy é a última chance para Nate Burke. Como polícia em Baltimore, assistiu à morte do colega na rua, e a culpa ainda o persegue. Sem mais nenhum lugar para onde ir, aceita a função de Chefe da Polícia nessa pequena e remota vila do Alasca. Quando começa a perguntar-se se a mudança não terá sido um grande erro, um beijo imprevisto e arrebatador na passagem do ano, levanta o seu espírito e convence-o a ficar mais tempo. Meg Galloway, nascida e criada em Lunacy, está habituada à solidão. Era apenas uma jovem quando o seu pai desapareceu e teve de aprender a ser independente, pilotando a sua pequena avioneta e vivendo nos arredores da vila na companhia dos seus huskies. Depois do beijo ao novo Chefe da Polícia, permite-se ceder à paixão. E, agora, as coisas em Lunacy começam a aquecer. Há alguns anos, numa das majestosas montanhas que sombreiam a vila, ocorreu um crime que nunca foi resolvido e Nate suspeita que o assassino continua em Lunacy. A sua investigação vai desenterrar segredos e suspeitas, bem como trazer ao de cima o instinto de sobrevivência que fez dele um dos melhores polícias em Baltimore. O que ele não podia saber é que a sua descoberta vai ameaçar a nova vida e o novo amor...


Este livro conta-nos a história de Nate Burke, um polícia que nunca mais foi o mesmo quando assistiu à morte do seu colega, culpando-se e pensando que ele é que devia ter partido. Para tentar fugir aos seus fantasmas e para se isolar acaba por aceitar o cargo de Chefe de Polícia no Alasca, um ótimo sítio para o estado da alma dele. Se Nate achava que naquela remota vila iria descobrir a calma e a solidão, enganou-se e bem enganado! Começa por não ser totalmente aceite pela a população pelo facto de ser uma pessoa de terras estrangeiras, o que o deixa um bocado desanimado, mas tudo mudo quando um beijo com Meg Galloway na noite de ano novo. Este gesto de carinho acaba por mudar completamente Nate que se começa apaixonar por Meg e tenta reconstruir a sua vida, tal como a sua alma.

Meg é uma rapariga que também está habituada a estar sozinha e a ser independente tendo apenas a companhia dos seus dois cães, já que o seu pai desapareceu quando ela ainda era uma criança e a sua relação com a mãe não é das melhores, havendo um ambiente bastante hostil entre as duas mulheres, piorando quando a mãe de Meg, Charlotte, pretende conquistar Nate mas o chefe da polícia só tem olhos para a filha dela.

Poderia-se afirmar que aquela pequena vila no Alasca não tinha grande controvérsias  os piores exemplos podiam ser um roubo, vandalismo, partidas dos adolescentes ou até acidentes com alces e ursos. Até que um dia o corpo do pai de Meg é encontrado congelado numa das montanhas, com uma picareta agarrada ao peito e dias mais tarde Max, jornalista da vila, aparece morto no seu escritório com um tiro na cabeça, deixando no computador as suas últimas palavras dizendo que tinha matado o pai de Meg e que não podia viver mais com aquela culpa. Apesar dos federais que investigavam o caso terem dito que Max tinha sido o assassínio, Nate tem um sexto sentido que o verdadeiro culpado continua naquela vila, à espera de realizar o próximo passo. E aí começa uma investigação que vai envolver Meg e todos os habitantes da vila.

Temos a escrita habitual de Nora Roberts, na terceira pessoa e em várias perspectivas. Alguns capítulos dos livros temos ainda o conhecimento de algumas passagens do diário do pai de Meg, dando-nos algumas pistas de quem seria o assassínio. De todas as obras que já li desta escritora, este volume foi o segundo lido em que a personagem central de toda a história era um homem (Nate), tornando Meg quase como uma personagem secundária. Temos todas as personagens bem descritas e construídas, todas elas bem apresentadas ao leitor. O cenário volta  a ser majestoso, com uma descrição tão fantástica que se por momentos fechasse os olhos poderia imaginar o Alasca inteiro. Mais uma vez, só descobri o vilão da história quando foi revelado (eu não era nada boa para investigadora).

Aconselho este livro a todos aqueles que gostam de um romance sensual e divertido, com uma mistura de policial. Para os fãs de Nora Roberts, não se vão desiludir com este livro!


Reacções:

3 Rabiscos:

  1. Olá!
    Por acaso ainda não li este livro, nem sei se há nas bibliotecas que frequento, mas estou curiosa... já tinha lido a sinopse vezes sem conta, mas nunca me tinha chamado a atenção, apesar de eu adorar a Nora Roberts, mas agora, QUERO LER! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá deixo-te aqui um selo.

    Vê em: http://romances-de-mesinha-de-cabeceira.blogspot.pt/2013/02/selo-liebster-award.html

    Boas Leituras

    ResponderEliminar
  3. Olá! Deixei-te um selo em http://paginas-encadernadas.blogspot.pt/2013/02/selo-2013-literario.html

    Beijinhos

    ResponderEliminar