sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Crítica literária - O Inferno de Gabriel de Sylvain Reynard

Venha mergulhar num mundo de obsessões, segredos e prazeres sem limites. O enigmático e sedutor professor Gabriel Emerson é um reputado especialista na obra de Dante. Mas à noite dedica-se a uma vida de prazer sem limites, não hesitando em usar a sua beleza de cortar a respiração para manipular as mulheres a satisfazerem cada capricho seu. Talvez por isso se sinta torturado pelo passado e consumido pela crença de que está para lá de qualquer salvação. Quando a jovem Julia Mitchell se inscreve como sua aluna de pós graduação, Gabriel não consegue ficar indiferente. Ela é linda, deliciosamente inocente, um diamante em bruto para ele polir. Sempre que Julia se apercebe do olhar de predador dele, espera sentir receio, mas o que verdadeiramente sente é uma estranha luxúria que a assusta. Desejando desesperadamente possuí-la, Gabriel põe em perigo não só a sua carreira, como ameaça desenterrar segredos de um passado que preferia manter oculto. Uma história inebriante sobre amor proibido, luxúria e redenção, O Inferno de Gabriel retrata a jornada de um homem que procura escapar do seu próprio inferno pessoal enquanto tenta conquistar o impossível: perdão e amor.

Chicotes, algemas, cabedal? Esqueçam isso tudo e venham mergulhar no mundo de Dante e Beatrice, juntamente com Gabriel e Julia. 

Ler aqui as primeiras páginas - CLIQUE AQUI

Julia Mitchell matricula-se como estudante de graduação no curso em que Gabriel é professor, sendo ele um especialista em Dante. Uma estranha atração que é sentida pelos dois deixa-os desequilibrados, a Gabriel porque não se pode envolver com alunas e Julia porque é bastante tímida e esconde um grande segredo. E que segredo é esse? Ela conheceu Gabriel no seu tempo de adolescência, já que ele era irmão mais velho da sua melhor amiga, Rachel, mas o rapaz não se lembra dela. Julia acaba por ficar desapontada porque no dia em que eles se conheceram acabaram por se beijar e dormiram abraçados junto a um pomar durante toda a noite, mas quando a menina acorda sozinha, sem ver Gabriel por perto acaba por ficar com o coração destroçado. 

A protagonista ainda fica mais desiludida quando dá conta que o seu “Dante” não se lembra dela. Sim, porque foi o Gabriel que fez com que Julia tivesse uma paixão pela história de Dante e de Beatrice, durante uma conversa que eles tiveram no pomar enquanto adolescentes em que ele a chamou de “sua Beatrice” e contou a história daquele casal. 

Julia tenta manter-se afastada do seu professor, mas quando a sua melhor amiga e irmã de Gabriel aparece de surpresa na universidade, obrigando os dois a estarem juntos, a jovem não tem outra saída do que ver Gabriel quase todos os dias, fazendo com que a sua paixão adormecida de adolescência voltasse ainda mais forte do que nunca. O problema acontece quando Julia encontra Gabriel bêbedo num bar, ela ajuda-o a ir para casa e ele, no seu estado de alucinação, acaba por se lembrar dela como a “Beatrice”. Mas quando Julia acorda no dia seguinte no apartamento de Gabriel, faz-lhe um pequeno-almoço reforçado por causa da ressaca e deixa-lhe um bilhete assinado como Beatrice. Mas quando o professor acorda e a vê no seu apartamento, começa a discutir com ela e Julia, com lágrimas nos olhos, acaba por abandonar o edifício, e é aí que Gabriel vê o bilhete e recorda-se daquela noite no pomar. E é a partir deste ponto que ele vai lutar pela sua “Beatrice”. Mas não vai ser fácil porque alunos e professores estão extremamente proibidos de se relacionarem pessoalmente, e se eles forem descobertos, Gabriel pode perder o trabalho e a carreira dos seus sonhos enquanto Julia pode arruinar a sua bolsa na universidade. 

Gabriel é um homem enigmático com um passado obscuro e que passou por um grave problema quando era mais novo. Ele acredita que na sua adolescência viu um anjo, a sua “Beatrice”, mas ela acabou por desaparecer sem razão aparente e ele mergulhou na escuridão até que voltou a encontrar a sua luz. Ele mostra-se controlador com Julia mas de forma carinhosa e os ciúmes que ele tem por Paul são hilariantes! 

Ao longo do livro é apresentado várias referências a grandes escritores, desde Dante, Shakespeare, C.S Lewis, Leo Tolstoy, entre outros. Mas o mais importante acaba por ser Dante porque é a base desta história. Dante era um famoso poeta que nasceu em 1250 e é considerado o maior poeta da língua italiana. Dante conheceu uma rapariga na sua infância, Beatrice, em que se apaixonou por ela perdidamente, mas por razões do destino acabaram-se por separar. Anos mais tarde, quando Dante já era casado, encontrou Beatrice mais uma vez. Convencido a viver o seu verdadeiro amor, o poeta tenta vivê-lo ao máximo mas Beatrice acaba por morrer demasiado cedo, fazendo com que Dante se refugiasse na escrita, homenageando a sua amada nas suas obras e tornando-a a sua inspiração. Claro que se encontram algumas parecenças com a história de Dante e Beatrice com a de Gabriel e Julia. 

Nos primeiros capítulos custou-me um pouco a leitura, porque começamos o livro numa perspectiva de Paul, como ele vê Julia pela primeira vez e faz-lhe lembrar um coelhinho assustado porque ela no início é muito envergonhada e muito tímida, e eu só pensava “Outra Anastasia não por favor…”! Mas Julia acaba por surpreender positivamente nas suas atitudes e nas ações que faz, e a única semelhança que encontrei com a personagem das “Cinquenta sombras” foi o facto de ela ser virgem. Claro que o leitor vai encontrar algumas semelhanças com a obra referida anteriormente e também com certos pontos da saga “Twilight” mas de forma escondida e disfarçada. 

Gostei muito da forma como o livro está escrito, na terceira pessoa e com várias perspectivas, tendo como narrador Julia, Gabriel, Rachel e até o melhor amigo de Julia na universidade, Paul. Isto permite que o leitor tenha um pleno conhecimento das personagens. Um aspeto menos positivo do livro é o facto que houve passagens que tornavam a leitura um pouco monótona e eram desnecessários, fazendo com que o livro fosse grande sem precisar! 

Não gosto nada da capa da edição portuguesa, a original é mais linda e mais sensual, e quanto a sinopse acho que não faz jus ao que realmente o livro porque dá a entender que é mais um livro erótico, tal como ultimamente tem sido publicados, e ele não o é.

Capa original do livro
Quem espera por um livro erótico, com sadomasoquismo, esqueça e vá procurar outro porque este livro só contêm algumas passagens sensuais ao longo da obra. Portanto, recomendo a leitura para quem gosta de romance assim como eu.


Reacções:

2 Rabiscos:

  1. Quando peguei neste livro e li a sua sinopse, para ser sincera, não gostei nada e voltei a pousá-lo. Mas agora que li a tua critica, mal posso esperar para o ler. Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem Catarina porque é um livro que vale mesmo a pena! Tal como disse em cima a editora através da capa e até da sinopse faz com que o leitor fique com a ideia errada do que é exactamente o livro e o que fala. Acho que foi um erro terem feito uma divulgação deste livro através das cinquenta sombras de Grey. Agora lê o livro que não te vais arrepender prometo :)

      Beijinhos

      Eliminar